Maia quer mudanças para futuros servidores

(Reprodução)
(Reprodução)

Na entrevista que concedeu à GloboNews, o presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia defendeu mudanças nas regras para servidores públicos, como o fim da estabilidade, plano de carreira mais estendido, estabelecimentos de metas claras e maior equiparação salarial com o setor privado. De acordo com Maia, em relação ao setor privado, o setor público está caro demais.

Mas os atuais servidores podem ficar tranquilos: Maia deixou claro que as mudanças só valeriam para os que entrarem.

“Na Reforma Administrativa, você mexe mais na construção do futuro que a do passado, você não mexe com quem já está na carreira”, disse Maia.

Rodrigo Maia e Paulo Guedes de boa novamente

(Valter Campanato/Agência Brasil)
(Valter Campanato/Agência Brasil)

Boa notícia para as contas públicas do Brasil. De acordo com o site O Antagonista, Rodrigo Maia e Paulo Guedes se falaram na quinta-feira por telefone, no mesmo dia em que o Presidente da Câmara cancelou uma importante sessão da comissão especial que está tratando os últimos detalhes da Reforma da Previdência.

Ambos admitiram mea-culpa na deterioração da relação entre o executivo e o legislativo, e perceberam que ambos iriam perder com isso.

Depois dessa conversa, o calendário dos trabalhos da Reforma da Previdência foram mantidos, com expectativa de que a matéria seja votada na Câmara em dois turnos até dia 18 de julho.

Embate entre Rodrigo Maia X Paulo Guedes paralisa Reforma da Previdência

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia e o ministro da economia, Paulo Guedes, após a reunião no ministerio.
(Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil)

 

O site Antagonista traz a informação de bastidor de que Rodrigo Maia ordenou a paralisação da tramitação da Reforma da Previdência. Ele alega que o principal interessado, Paulo Guedes, teceu duras críticas ao relatório da Reforma e que, como já está “apanhando” de sindicatos e da esquerda, não vai tolerar ser atacado também pelo governo.

Com isso, a sessão de hoje da Comissão Especial sobre o tema foi cancelada. Sessão esta que, semanas atrás, era aguardada como aquela em que o relatório seria votado e encaminhado a plenário.

A falta de habilidade política do governo está custando caro aos 13 milhões de desempregados.

A economia está sendo tocada pelo Parlamento

O historiador Marco Antônio Villa acredita que descobriu a pólvora ao intitular seu último vídeo do Youtube com a frase “A Câmara assumiu o protagonismo político.” Isso é algo que qualquer pessoa minimamente antenada com o momento atual da política brasileira saberia constatar. Algo sobre o qual eu já havia tuitado lá atrás, em 22 de maio.

Rodrigo Maia tem razão em falar que a atual proposta da Reforma da Previdência é do Congresso, e não mais do Paulo Guedes ou Jair Bolsonaro. Pois se dependesse da articulação política desses dois…

Aliás, o Ministro da Economia até ameaçou a abandonar o Brasil e ninguém no mercado se assustou.

Sim, o Brasil vive um Parlamentarismo não-oficial. E isso não é ruim.