A Previdência e o futuro automatizado do trabalho

(Imagem: Getty Images/iStockphoto)
(Imagem: Getty Images/iStockphoto)

Merval Pereira, em sua coluna deste último sábado, levantou uma importante questão que relaciona a Previdência com o trabalho cada vez mais robotizado. Pois de acordo com José Roberto Afonso, professor do Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP), a Reforma da Previdência é necessária, mas insuficiente para lidar com o futuro do trabalho laboral cada vez mais automatizado por algoritmos.

Nas palavras do professor, haverá “um desemprego tecnológico brutal, provocado por robôs, economia compartilhada e outras realidades novas.” Com isso, a quantidade de salários pagos será menor e, por consequência, as contribuições previdenciárias também.

Tecnologia tem substituído até especuladores

A Fintechs estão democratizando não só os serviços bancários, mas também algo inimaginável até a alguns anos atrás: os sistemas automatizados de investimentos.

Os populares robôs especuladores são na verdade programas de computadores que utilizam algoritmos (fórmulas) específicos de acordo com o perfil do investidor. Há robôs que já conseguem a façanha de render 370% do CDI.

Não há limites para a tecnologia.