Nubank libera a função débito para todos

Depois de zerar a fila de espera para avaliação de cartão de crédito, a Nubank agora acelerou de vez. Acabou também com a fila de espera para a ativação da função débito de seu cartão.

Ou seja, se alguém quiser ser cliente da fintech de cartão de crédito mais famosa do Brasil, não vai esperar trocentos dias para ser avaliado e mais trocentos dias para ter a função débito. A aprovação (ou desaprovação) será breve. Sendo aprovado, o cartão já vai múltiplo. Assim, o cliente poderá usar a NuConta não só para pagamentos online, mas também nas compras em estabelecimentos comerciais.

A Nubank já está sendo avaliada em US$ 10 bilhões pelo mercado, depois que a Softbank (multinacional japonesa de telecomunicações e internet) considerou entrar no negócio.

Nubank sem fila de espera do cartão de crédito

(Infomoney)
(Infomoney)

Os clientes que querem ter um cartão de crédito roxo do Nubank não precisarão mais esperar 90 dias para serem avaliados, uma vez que a empresa anunciou que está zerada a lista de espera.

A partir de agora, o cliente que se interessar em ter relacionamento com o Nubank vai conseguir acesso imediato à NuConta (a conta de pagamentos do Nubank) e, em caso de aprovação, vai automaticamente receber o cartão de crédito.

Foi um importante gargalo vencido pela empresa, uma vez que a oferta era bem maior do que a procura. Não custa lembrar que há boatos de negociações para a entrada de novos investidores do Nubank, que estão estimando seu valuation em US$ 10 bilhões.

Nubank é avaliada em US$ 4 bilhões por empresa chinesa

nubank_sede

A gigante chinesa de tecnologia Tecent, que possui serviços semelhantes ao Whatsapp e ao Pypal, acabou de comprar 5% da fintech Nubank pela bagatela de US$ 200 milhões. Com isso, a empresa brasileira de cartões de crédito sem anuidade passou a valer nada menos do que US$ 4 bilhões!

É um espanto! Pois a Nubank é uma fintech que nasceu a poucos anos e já vale tudo isso no mercado internacional. Confirma não só a potencialidade do negócio, mas também uma verdade indubitável: é possível uma empresa de cartão de crédito ser altamente lucrativa sem cobrar anuidade de seus clientes.

Fintechs vieram para ficar, adapte-se

(Internet)
(Internet)

A Nubank ainda não reporta lucros em seus balanços anuais. Isso é suficiente para que alguns profissionais tradicionais do ramo financeiro fiquem proferindo por aí que fintechs não são nada mais do que uma simples moda. E que os grandes bancos vão engoli-las.

Algo semelhante aconteceu com o Napster. Ele acabou fechando, mas logo filhotes semelhantes nasceram e se multiplicaram.

A Nubank pode até acabar, mas a demanda por cartões de crédito populares sem anuidade e por empréstimos bancários com juros mais baixos e sem venda casada vieram para ficar.

Os grandes bancos vão se adaptar. Só os bancários dinossauros é que ficarão pelo caminho.