Streaming da Disney chega ao Brasil em 2020

Mais uma opção de filmes e séries em streaming estará disponível ao público brasileiro em 2020.

Já contamos com a Netflix e a Prime Video. Agora é a Disney que está entrando neste mercado com força, disponibilizando todo o seu qualificado e popular catálogo de filmes e séries para transmissão via internet.

A promessa é que o serviço chegue à América Latina em 2020, e com novidades. Destaco a franquia Star Wars, onde já está confirmado o lançamento de duas séries: “The Mandalorian” (foto) e outra sobre a vida do Jedi Obi-Wan Kenobi.

O valor será bem mais em conta do que sua principal concorrente, Netflix. Tudo indica que o custo para ter a transmissão simultânea em 4 aparelhos será de R$ 16. Para se ter uma ideia da vantagem econômica, o mesmo tipo de pacote na Netflix custa R$ 45,90 mensais.

A briga vai ser boa!

Empresas digitais estrangeiras poderão pagar mais imposto com a Reforma Tributária

(Luis Macedo/Câmara dos Deputados)

A bola da vez no Congresso Nacional é a Reforma Tributária. Se por um lado a proposta pode servir de impulso para as criptomoedas no Brasil, por outro pode tornar serviços como Uber e Netflix mais caros para o consumidor.

Isso porque a PEC 45, de autoria do deputado Baleia Rossi, prevê a unificação de vários impostos em um único Imposto sobre Operações de Bens e Serviços (IBS). E este imposto seria cobrado de forma diferenciada para empresas que atuem pela internet. Empresas como Netflix e Uber, que não são taxadas da mesma forma que companhias nacionais. A Reforma Tributária visa corrigir esta injustiça.

A revisão dos impostos brasileiros é muito bem vinda. Porém não pode ser ferramenta de protecionismo de mercado, e sim de justiça tributária.

Chegou o inverno financeiro da Netflix

(Getty Images)
(Getty Images)

Aquilo que muitos (ex-)assinantes suspeitavam está acontecendo: a Netflix entrou oficialmente em decadência.

A empresa anunciou ontem que perdeu nada menos do que 130 mil assinantes somente nos EUA. Como reflexo, suas ações despencaram incríveis 11% em um único dia.

Os motivos já foram esclarecidos neste post, mas vale a pena relembrar resumidamente: baixa renovação do acervo, perda de grandes produtos de terceiros e aumento da concorrência.

A Netflix era a vanguarda da exibição de filmes e séries por streaming. Só que outras produtoras perceberam que esta era uma nova e forte tendência de negócio e resolveram entrar no jogo também. Com isso, a Netflix vai perdendo mercado, o que é saudável para o consumidor, pois as opções aumentam e os preços barateiam.

3ª temporada de Stranger Things dá fôlego à Netflix

(Reprodução)
(Reprodução)

Os fãs da série “Stranger Things” já tem algo para fazer durante o próximo fim de semana: maratonar a terceira temporada da série, que estreou hoje na Netflix.

E é fundamental para esta empresa de streaming que seus clientes sejam estimulados constantemente por produções próprias, pois está ficando cada vez mais difícil manter filmes e séries de terceiros em seu catálogo, o que tem diminuído sua atratividade.

A debandada começou pela série de humor “Two and a Half Man”, ao final de 2017. Outra que está para sair é famosa “The Office”. “Friends” só não se foi porque a Netflix pagou uma fábula para mantê-la. Mas no médio prazo, são esperadas a descontinuidade de várias produções da Disney, Pixar, Marvel, Warner, entre outras.

O fato é que todas estas produtoras pretendem lançar seus próprios serviços de streaming, uma vez que esta é uma tendência irreversível do mercado audiovisual. É onde o dinheiro vai estar.