Itaú percebe que não vai mais fazer dinheiro como antigamente

O banco brasileiro mais pujante do momento já percebeu que não vai mais fazer seu acionista sorrir como antes.

Em evento promovido ontem junto à analistas e investidores, o Itaú admitiu que a ascensão das fintechs está tirando o sono de seus dirigentes. E que os níveis de lucros bilionários do passado (e presente) tendem a cair.

Para se ter uma ideia da preocupação, basta verificar o balanço dos bancões. Cerca de 15% a 30% do faturamento anual vem de cobrança de tarifas, algo que as fintechs quase não cobram.

E se levarmos em conta que as vendas (quase sempre casadas) de seguros  tendem a diminuir consideravelmente, uma vez que a contratação de crédito não será mediada por um gerente com metas, podemos falar que o faturamento dos bancões pode cair de 40% a 50% em média. Isso só não vai acontecer se alguma manobra política aparecer para proteger o oligopólio.

Apesar disso, eles ainda poderão ser bem lucrativos. Mas vão ter que cortar absurdamente os custos.