Spoofing é invasão de privacidade, não de celular

Spoofing
(Renovamídia)

Parte da imprensa tem se equivocado ao falar dos problemas que o ministro Sérgio Moro, Paulo Guedes e Joice Hasselmann tiveram com seus celulares hackeados. Muitas vezes os jornalistas têm se referido aos episódios como “invasão de celular”, quando na verdade a técnica usada foi de a de “Spoofing”.

Nesta técnica, o meliante em nenhum momento entra no sistema operacional do telefone móvel. O que ele faz é se passar pelo número da vítima para acessar aplicativos cuja validação é feita pelo número do telefone celular, como Whatsapp, Telegram, entre outros.

A recomendação para se proteger desses ataques é já largamente conhecida: evitar clicar em links suspeitos e proteger seus dados de desconhecidos, o que, convenhamos, é quase impossível nos dias de hoje.