Paulo Guedes não é mais tão importante para o mercado

(Evaristo Sá - AFP)
(Evaristo Sá – AFP)

Após a ameaça de deixar o Brasil, a revista eletrônica Crusoé foi atrás do real valor que o atual Ministro da Economia tem para o mercado. E concluiu que Paulo Guedes não é mais essa Coca-Cola toda que diziam que era.

Tanto é que, no dia seguinte desta declaração de desprezo pelos brasileiros, o mercado não reagiu negativamente. Fez ouvido de mercador.

De acordo com o repórter Caio Junqueira, a convicção de que as reformas serão feitas diminuiu a importância de Guedes. E que o nome de Mansueto Almeida é bem aceito como substituto.

Em resumo, Paulo Guedes pode ir, que a confiança permanece.

Brasil caminha novamente para recessão em 2019

Uma notícia triste para os 13 milhões de desempregados: uma nova recessão pode estar se formando no curto prazo.

Pois o 1º trimestre deste ano não foi nada animador. Registrou-se uma contração da economia de 0,2% em relação ao quarto trimestre de 2018. E abril continua sem bons números: expectativa de recuo de 0,47% nas atividades econômicas, de acordo com o Banco Central.

Caso sejam registrados 2 trimestres consecutivos de queda, já pode ser considerado que a economia está em recessão.

Portanto, se você está desempregado, redobre seus esforços e sua qualificação. E se você está empregado, agradeça aos céus e evite comprar financiado.

A esperança é que, com a aprovação da Reforma da Previdência, o Brasil comece a receber investimentos ao final do 3º trimestre, fazendo com que 2020 seja um ano bem mais próspero.

A fragilidade das previsões econômicas

Ninguém pode prever o futuro. Ninguém sabe o que vai acontecer daqui a 1 ano na economia. Os analistas sérios trabalham com possíveis cenários. Os pilantras cravam previsões.

Vale a pena sempre ficar com um pé atrás. Veja esse recorte que tirei de uma reportagem da revista Exame de 2016, que corrobora esta ideia:

previsoes_furadas