Fintechs são armas contra a venda casada

Fintechs combatem Venda casada
(internet)

Já perdemos as contas de quantas histórias ouvimos de pessoas próximas, ou na mídia, de coerção de (maus) gerentes bancários quando o cliente solicita um empréstimo. Muitas vezes os clientes são quase que obrigados a contratar um produto que não desejava, como um seguro ou título de capitalização. Isso tem um nome e é proibido pelo código de defesa do consumidor: venda casada.

A boa notícia é que não param de surgir empresas financeiras com atendimento exclusivo por aplicativo (as chamadas Fintechs) focadas no crédito pessoal. Como é tudo feito pelo celular ou tablet, o cliente não é coagido a contratar produtos que não o interessa. É claro que a oferta desses produtos adicionais sempre vai existir por lá, mas sem ser condicionante à contratação do crédito. Se o cliente não quiser, é só não clicar em “aceitar.”

As Fintechs devolvem ao cliente o poder de negociação.