Projeto do BC é bom para o consumidor, mas por isso mesmo é difícil de acreditar

O Banco Central do Brasil promete implementar um projeto que vai colocar mais lenha na fogueira da guerra das maquininhas.

O regulador financeiro tem o plano de, até o final de 2020, implementar a “Transação Instantânea.” A ideia é que o cliente, ao efetuar uma compra, transfira o dinheiro diretamente para a conta do vendedor, sem a intermediação de terceiros, como bancos e máquinas de cartão.

Atualmente, ao realizar uma compra no débito, a maquininha aciona o banco do cliente. Este autoriza a retirada do dinheiro de sua conta. O valor então é transferido para a máquina que, em até 3 dias úteis, credita-o na conta do vendedor, cobrando uma porcentagem por isso.

Todo este processo pode cair por terra com este novo sistema do BCB. Mas, como mexe no faturamento de poderosos players do mercado, fica difícil acreditar que um dia ele possa sair do papel.

Juros vão cair na próxima reunião do Copom

(Divulgação / Banco Central)
(Divulgação / Banco Central)

É quase certo que o Banco Central anuncie queda nos juros da Selic na próxima reunião, dia 31/07. E basicamente por 2 motivos:

O primeiro, a estagnação da economia. Ninguém investe em nada. Então a redução de juros serviria de estímulo para que os investidores se mexessem para aplicar em negócios que rendam mais do que 6,5% por ano.

E o segundo, a prévia da inflação. Na última terça feira, a prévia do IPCA veio tão baixa que há 13 anos não se via isso. E como a inflação veio mais baixa, a dosagem do remédio também pode ser diminuído.