A vez das empresas de Tecnologia

Terminei hoje de alocar os recursos disponíveis do fundo. Já havia dado um “spoiler” no Twitter, quando anunciei que havia reforçado minha posição na OI (OIBR3 e OIBR4). Também comprei mais Banco Inter (BIDI4) e na Afluente T (AFLT3). E destinei cerca de 20% do fundo à empresa Positivo Tecnologia (POSI3). A compra deste papel foi realizada em 3 etapas, onde consegui fazer um preço médio de R$ 3,79.

 

O que vejo para o cenário dos próximos meses de 2020

  • O isolamento social vai continuar por um bom tempo ainda. Começará a ser afrouxado em maio/junho com reabertura paulatina da economia;
  • Economia plena mesmo, só a partir de outubro. Nesta época, os hospitais já estarão mais bem equipados, com significativa parcela da população imunizada e a vacina já se encontrará nos estágios finais de criação;
  • Diante deste cenário, empresas com forte viés tecnológico vão continuar com boa demanda pelos seus produtos e serviços, por isso vão perder menos valor e vão se recuperar mais rapidamente.

 

O investimento em Positivo Tecnologia (POSI3) – Razões

  • Possui bons fundamentos contábeis: lucro líquido positivo nos últimos 12 meses e dívida estável.
  • Realizou follow-on no começo do ano, que recheou seu caixa em R$ 353,7 milhões, dando boa liquidez à empresa para atravessar este momento difícil;
  • A Hi Technologies, subsidiária da Positivo, lançou no início do março testes rápidos para detecção de Covid-19. E a Anvisa autorizou que estes testes sejam realizados em farmácia;
  • A demanda por computadores da empresa aumentou durante pandemia. E com o prolongamento do isolamento social, a tendência é que a demanda continue alta devido ao home-office;
  • Está ajudando o governo federal a produzir respiradores, o que pode ser revertido positivamente à sua imagem e à benefícios fiscais;
  • Está renegociando contratos como medida de prevenção para manter caixa;
  • Empresas com perfil tecnológico tendem a sofrer menos com essa pandemia;
  • O gráfico de preço da POSI3, ao final de abril, apontava uma tendência de alta;
  • A alta do dólar encarece produtos importados, o que abre oportunidades para empresas brasileiras.

Fontes:

 

O reforço na OI (OIBR3 e OIBR4)

  • Empresa com grande valor de branding (marca), o que dificulta sua falência pela recuperação judicial;
  • VIVO e TIM planejam comprar sua a parte móvel da marca. Rumores apontam que a venda já está até consolidada. Só estão aguardando o momento mais propício para realizar o anúncio;
  • A empresa está ampliando seus serviços por fibra ótica durante a pandemia. Este recurso entrega um serviço de melhor qualidade ao cliente;
  • Assimetria de risco-retorno altamente positiva.

Fontes:

 

O reforço em Banco Inter e Afluente T

  • Pelos mesmos motivos que entrei nestas empresas, porém aproveitando esta “liquidação” e tendo em vista que são empresas sólidas, com bons fundamentos e ótimas perspectivas futuras.