Por que 40% do valor do fundo Potencial é composto por empresas de energia?

Alguns notaram que parte considerável do Potencial Multimercado é composta por 3 empresas de energia: Eletrobras, Transmissão Paulista e Afluente T. Por que isso?

Porque acredito demais no potencial do produto destas empresas, que é a eletricidade.

O mundo está cada vez mais digital. E tecnologia não funciona sem energia elétrica. Tecnologia avançando é sinônimo de demanda cada vez maior por força elétrica. Além disso, há uma expectativa de que, daqui a 20 anos, carros elétricos existam em maior quantidade do que carros movidos a gasolina/álcool.

É claro que risco sempre há, como a popularização da energia solar residencial, por exemplo. Porém este é um mercado tão tímido que ainda não representa uma ameaça. E ainda que cresça, estas empresas podem adaptar-se para usar a luz solar para produzir energia.

Mas porque selecionei essas empresas de energia especificamente? Porque, dentre TODAS as empresas de energia listadas na bolsa que pesquisei a fundo, estas são as mais saudáveis e mais lucrativas.

Ações dos bancões estão abaixo da média do Ibovespa

A primavera chegou ao Brasil. Mas os bancões começaram a viver o outono no mercado de capitais.

Digo isso porque a Infomoney percebeu que, passados 67% do ano de 2019, as ações do 4 maiores bancos do Brasil estão com desempenho aquém do esperado, abaixo da média das principais empresas do país, empresas que compõem o Índice Bovespa.

Os grandes investidores do mercado perceberam que as fintechs chegaram para acabar com um oligopólio que se nutria de fartas tarifas e vendas casadas.

E o pior para os bancões é que eles não podem mais contar com amigões de longa data: o Ministério da Economia (antigo Min. da Fazenda) e o Banco Central. Pois os chefes de ambos os departamentos do Governo Federal já deram sinais claros de que vão adotar medidas para abrir cada vez mais o mercado financeiro comercial do país.

Chegou o inverno financeiro da Netflix

(Getty Images)
(Getty Images)

Aquilo que muitos (ex-)assinantes suspeitavam está acontecendo: a Netflix entrou oficialmente em decadência.

A empresa anunciou ontem que perdeu nada menos do que 130 mil assinantes somente nos EUA. Como reflexo, suas ações despencaram incríveis 11% em um único dia.

Os motivos já foram esclarecidos neste post, mas vale a pena relembrar resumidamente: baixa renovação do acervo, perda de grandes produtos de terceiros e aumento da concorrência.

A Netflix era a vanguarda da exibição de filmes e séries por streaming. Só que outras produtoras perceberam que esta era uma nova e forte tendência de negócio e resolveram entrar no jogo também. Com isso, a Netflix vai perdendo mercado, o que é saudável para o consumidor, pois as opções aumentam e os preços barateiam.

Por que investi em Bova11?

(pichet_w/Thinkstock)
(pichet_w/Thinkstock)

Finalizando a série de postagens sobre as razões de aquisição dos ativos da carteira Daninvest, chegou a hora de falar sobre as ações da Bova11.

Mas o que é Bova11? É uma ação de empresa? Não, é uma ação de exchange-traded fund (ETF). Uma ETF é um fundo de investimento que emite ações. Ou seja, em vez de você aplicar seu dinheiro no fundo, você compra suas ações. Se o fundo render bem, ele gera lucro, paga dividendos e a ação é valorizada.

O Bova11 é uma ETF que acompanha o índice Bovespa, que é composto pelas ações mais transacionadas na Bolsa de Valores de São Paulo – a B3.

Comprei ações dessa ETF em 13/06/2019, no dia em que o relator da Reforma da Previdência leu seu parecer na Comissão Especial da Câmara dos Deputados. Depois de muita negociação, a proposta mantinha uma economia perto de 1 trilhão em 10 anos, o que agradava o mercado. Então percebi o conjunto de ações das principais empresas brasileiras ganhariam valor com a aprovação da Reforma.

Naquele dia, o Ibovespa beirava a casa dos 100 mil pontos. E com a acachapante votação a favor da Reforma no plenário da casa, já há investidores afirmando que o índice fechará o ano em 120 mil pontos.

O viés é positivo. Mas o risco sempre vai existir.

Por que investi na WIZS3 – Wiz Corretora?

Imagem do site da Wiz Corretora
(Reprodução / Site)

Outro ativo interessante da carteira Daninvest são os papéis da Wiz Soluções e Corretagem de Seguros S/A. Por que apostei nesta empresa?

O interesse começou quando me tornei cliente da Youse Corretora e percebi ali um imenso potencial de negócios, uma vez que o próprio cliente montava sua apólice sem penduricalhos que encarecem o valor.

Ao pesquisar sobre a empresa, verifiquei que nem ela e nem a sua controladora, a Caixa Seguradora, estavam com o capital aberto na bolsa. Porém, ao analisar as empresas do grupo, cheguei à Wiz Corretora. Então concluí que ela poderia se beneficiar da expertise digital da Youse.

Ainda não sei se vou me desfazer destes papéis assim que a Caixa Seguradora abrir seu capital. Enquanto isso não ocorre, a Wiz vai me dando alegrias.

Por que investi em BIDI4 – Banco Inter?

(Reprodução do Site)
(Reprodução do Site)

Continuando a série, agora vou explicar o porquê de eu ter investido também no Banco Inter, uma empresa que não para de crescer na Bovespa.

Este banco está na vanguarda de um modelo de negócios que acredito que será regra no futuro: o das contas bancárias sem cobrança excessiva de tarifas para movimentações. No caso do Banco Inter, a cobrança de tarifas é zero!

Mas será que isso é sustentável? O mercado acredita que sim: em pouco mais de 2 meses de sua estreia na bolsa, a ação já havia dobrado de valor. Analistas acreditam que o custo reduzido de operação aliado a fontes alternativas de receita dão boa sustentação ao modelo.

Foi então que, em setembro de 2018, decidi me associar. E deu certo: de lá pra cá, a ação valorizou-se cerca de 176%!

Conta bancária sem cobrança de tarifas é um sistema irreversível. É bom os bancões se adaptarem o quanto antes.

Ações da Apple estão com viés de baixa

(Reuters)
(Reuters)

A empresa fundada por Steve Jobs já viveu dias melhores.

Além do recente anúncio da saída de Jony Ive, o designer por trás dos grandes sucessos da empresa, relatórios de analistas de Wall Street indicam que esta gigante da tecnologia vai enfrentar momentos difíceis pela frente.

Eles estão recomendando a venda de ações da Apple. O motivo estaria na expectativa decepcionante das vendas de iPhone no 2º semestre deste ano, além do esperado lento crescimento das venda de iPads.

Apesar dos bons resultados que a empresa apresentou nos últimos trimestres, a verdade é que há muito tempo que a Apple não lança um produto que salta aos aos olhos do consumidor, assim como foi o iPod, iPhone, iPad e Apple Watch.

A Apple está perdendo o tino inovador.

Por que investi em BPAN4 – Banco Pan?

(Reprodução / Interne
(Reprodução / Interne

Após divulgar o balanço semestral da minha carteira de renda variável, alguns amigos perguntaram-me como eu sabia que a ação do Banco Pan iria saltar de R$ 2,11 em janeiro para os atuais R$ 10,08.

Aí é que está: eu não sabia! Apenas percebi indícios de que essa seria uma boa ação para se investir.

Assim que a Caixa anunciou que queria se desfazer de sua participação no Banco Pan e o mercado gostou, vi que ali tinha potencial de valorização ainda maior até a negociação se concretizar. Pois o mercado adora investir em empresas que serão privatizadas, mesmo que em parte e mesmo sem saber se aquele negócio é lucrativo ou não no médio e longo prazo.

Só que o impulso foi melhor do que o esperado. Cerca de 1 mês depois da minha aquisição, já havia uma valorização de quase 50% em seu preço.

Até que, ao final de maio, a Empiricus também se deu conta do potencial do Banco Pan e passou a recomendar sua compra. Aí a BPAN4 explodiu!

Entenda facilmente o conceito EBITDA

(Internet)
(Internet)

Um importante dado indicativo da boa saúde de um negócio é o Ebitda. Você sabe o que é?

Ebitda é uma sigla em inglês para Earnings before interest, taxes, depreciation and amortization. Em português, “Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização” (também conhecida como Lajida).

Simplificando, Ebitda é o lucro bruto do negócio. É o quanto ele faz de dinheiro, menos o custo operacional.

A análise do Ebitda é importante porque define qual é a margem de ganhos que uma empresa gera em seu estado natural. Se ela for magra antes mesmo de se descontar impostos e outras obrigações, é sinal de que aquele negócio não está tão rentável assim e que sua sobrevivência no médio e longo prazo corre sério risco.

Por outro lado, muitas vezes o Ebitda é alto mas o lucro líquido é baixo, o que passa uma falsa sensação de que o negócio é fraco. Mas nesse caso, basta alguns ajustes nas obrigações pós Ebitda para que a empresa volte a ser uma máquina de gerar dinheiro.