iPhone 11, assim como a Apple, não traz nada de revolucionário

Tim Cook, CEO da Apple

O ano é 2007, época de lançamento do iPhone, um produto que revolucionou o mercado de celulares e consolidou a Apple como a empresa de tecnologia mais inovadora daquela década. A Apple ditava tendências. Após alcançar imenso sucesso comercial ao redesenhar os computadores de mesa com o iMac (1998) e os tocadores de MP3 com o iPod (2001), a Apple não havia se acomodado com o sucesso, lançando mais um produto que seria referência em seu segmento, no caso, o iPhone.

Mas o que se tem hoje não é nem sombra do que se tinha há 12 anos atrás.

A Apple não inova mais. Parou de lançar grandes produtos desde 2010, com o iPad (Apple Watch? rá!), fazendo apenas modificações sem graça em seus produtos.

Como ocorreu recentemente com o novo iPhone 11. A mídia americana experimentou-o e foi taxativa: o novo aparelho não traz nenhuma grande novidade.

A morte de Steve Jobs foi a morte do espírito inovador da Apple.

Lamentável.

Curta a página no FacebookCurta a página no Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *