Quem souber trabalhar e analisar Biga Data vai ser o cara!

Se você ainda não conhece termo, prepare-se: quem for craque em Big Data será disputado a tapa no mercado.

Big Data é mais do que a tradução simplória de “Grandes Dados.” Significa um imenso volume de dados coletados por plataformas digitais através dos hábitos dos seus usuários.

O simples movimento de você entrar no Instagram, curtir uma foto e comentar já oferece uma quantidade enorme de dados sobre sua pessoa, como sexo, idade, gostos, horário de uso, etc. Agora multiplique toda essa informação por milhões de usuários da plataforma. Isto é Big Data.

E para que serve isso? Ora, para que a Netflix ofereça um filme de acordo com os últimos filmes e séries que você viu; para que o Facebook exiba um anúncio que seja útil a você; para que o iFood sugira restaurantes que sejam do seu agrado.

Dito assim, o conceito parece simplista, mas a análise do consumidor através da Big Data gera para as empresas uma economia de milhões de dólares/reais em publicidade, já que seu direcionamento é mais certeiro. Há também o aumento das receitas, pois as empresas conseguem oferecer produtos de acordo com o perfil do cliente, aumentando as chances de venda e, por consequência, seu ticket-médio.

Conheça Big Data, estude, se aprofunde. E abrace o sucesso!

Youse: seguro veicular digital e 33% mais barato

UOL-AD_LAB-Youse

Você tem carro? Você tem seguro para seu carro?

Apenas 30% dos veículos particulares que rodam no Brasil tem seguro. Os motivos variam, mas um dos principais empecilhos é o preço. Como o Brasil é um país violento, as seguradoras costumam usar este argumento para majorar seus valores.

Mas além do custo da violência, há também o preço do corretor. E esse preço muitas vezes é criado por ele próprio. Pois várias propostas de apólices de seguros vêm com serviços que você simplesmente nunca usa. E a justificativa deles é sempre a mesma: “já está no pacote.” Na verdade, o objetivo é aumentar o valor final para engordar suas comissões de vendas.

Então não seria melhor você mesmo montar a sua apólice?

É esta a ideia central da seguradora Youse. Ela oferece uma plataforma inteiramente digital para que você mesmo monte as coberturas que deseja. E com esta facilidade, o preço cai.

Neste fim de semana eu me tornei um cliente Youse. Com meu seguro veicular vencido, pedi à minha corretora 4 propostas de diferentes seguradoras. E fiz uma cotação online pela Youse, com praticamente as mesmas coberturas e serviços. Resultado: a proposta da Youse ficou 33% mais barata do que a proposta mais em conta enviada pela minha corretora. Não tive dúvidas, fechei com a Youse na hora!

Youse é mais um exemplo evidente de como a tecnologia democratiza os serviços financeiros, apontando uma tendência de atendimento ao cliente que é irreversível neste setor da economia: o atendimento digital.

Ações do Banco Inter mais que dobraram em 5 meses

site_banco_inter

Quem investiu nas ações do Banco Inter (BIDI4) em sua estreia na Bovespa se deu bem! O banco abriu seu capital vendendo cada ação a R$ 18,50. Hoje ela vale nada menos do que R$ 43,22. Uma valorização de 133,62% em pouco mais de 5 meses! Um fenômeno!

Ok, quem investiu ganhou dinheiro. Mas e daí? Por que isso merece destaque?

Por causa do seu modelo de negócios.

O Banco Inter tem uma diferença crucial em relação aos grandes bancos: ele não cobra tarifas para nada! Ted, Doc, manutenção de conta… tudo isso é grátis, free, 0800! E mesmo com essa inexistente fonte de receita, o banco está sendo altamente lucrativo, principalmente devido à sua eficiente plataforma digital. TUDO é feito pelo celular ou pela internet.

Esta valorização acionária dá um importante recado aos grandes bancos: aumentem a velocidade da digitalização de seus serviços, para assim poderem abandonar mais rápido a velha ideia de empurrar  um monte de tarifas em seus clientes. Eles agora tem várias outras opções.

Bancão: adapte-se rapidamente ou definhe-se.

Nubank é avaliada em US$ 4 bilhões por empresa chinesa

nubank_sede

A gigante chinesa de tecnologia Tecent, que possui serviços semelhantes ao Whatsapp e ao Pypal, acabou de comprar 5% da fintech Nubank pela bagatela de US$ 200 milhões. Com isso, a empresa brasileira de cartões de crédito sem anuidade passou a valer nada menos do que US$ 4 bilhões!

É um espanto! Pois a Nubank é uma fintech que nasceu a poucos anos e já vale tudo isso no mercado internacional. Confirma não só a potencialidade do negócio, mas também uma verdade indubitável: é possível uma empresa de cartão de crédito ser altamente lucrativa sem cobrar anuidade de seus clientes.

App “Em Quem Votar…” tem centenas de acessos

No dia 23/08/2018 lancei o aplicativo chamado “Em Quem Votar Para Presidente em 2018?”.

Hoje, com o fim do 1º turno, consolidei os números do app. Eis as telas:

googleplay

 

analytics

Na loja Google Play, o app obteve 306 downloads.

Já a página do teste recebeu um total de 478 acessos diferentes.

Somando ambos, chegamos ao número total de atingidos pelo app: 784 brasileiros(as).

Estou orgulhoso. Os números me motivam a continuar adiante neste universo dos apps mobile.

Não se aprende a programar em faculdade

 

Se você espera aprender a programar só quando entrar na faculdade de TI, cuidado! Pode ser uma cilada, Bino! A maioria das faculdades do Brasil tem uma teoria forte, mas a prática deixa a desejar. Tanto que muitos alunos confessam que só estão se formando parta ter o título de formado, ainda exigido por alguns recrutadores.

Pois veja este depoimento nos comentários do post acima, no Facebook:

Faço Análise e Desenvolvimento de Sistemas, estou na 4ª fase, até agora só aprendi visualg, Oracle, e HTML básico. É só encheção de linguiça. O que sei mesmo aprendi no cursoemvídeo.com.br com o professor Guanabara. Porém, no Brasil se você não tiver fazendo ou ter concluído o superior, os recrutadores nem te chamam para entrevista. (na faculdade) vão ficar falando de levantamento de requisitos, análise de negócio arquitetura de computadores, métodos de desenvolvimento. E só no final lá pela penúltima fase você vai ter contato com alguma linguagem de programação. Quer um conselho faça técnico. No curso técnico é programação do começo ao fim.”

Microsoft lança o Pacote Office 2019

Carro-chefe do postfólio da Microsoft, o Pacote Office ganhou uma nova versão, chamada “2019.” Os diferenciais dessa nova leva são: word com fundo escuro, Outlook focado nas mensagens mais importantes, PowerPoint com novas transições e Excel com novos tipos de gráficos.

Para saber de todos os detalhes, clique aqui.

 

Mas afinal, o que é CSS e para que serve?

Para quem programa direcionado à web, saber CSS é fundamental. Mas você sabe o que é e para que serve?

CSS é a abreviação de Cascading Style Sheets, que em uma tradução livre significa Folhas de Estilo em Cascata. É o CSS que vai dar forma e cor ao conteúdo do seu site.

Por exemplo, digamos que você digite um texto no word. Após finalizá-lo, você começa a tratar os parágrafos, negritos, cores, etc. É este procedimento que o CSS faz pela sua página na web. É ele que vai deixar sua página com um visual maneiro.

Tecnologia tem substituído até especuladores

A Fintechs estão democratizando não só os serviços bancários, mas também algo inimaginável até a alguns anos atrás: os sistemas automatizados de investimentos.

Os populares robôs especuladores são na verdade programas de computadores que utilizam algoritmos (fórmulas) específicos de acordo com o perfil do investidor. Há robôs que já conseguem a façanha de render 370% do CDI.

Não há limites para a tecnologia.

Bitcoin já perdeu metade do seu valor em 2018

O ano de 2018 não tem sido nada bom para quem investiu em Bitcoins no final de 2017. Desde 1 de janeiro, a criptomoeda perdeu metade do seu valor. Passou de R$ 53.149 por moeda para  R$ 25.945.

Já quem investiu no começo de 2017 não tem do que reclamar. A moeda estava em R$ 3.650 naquela época. Logo, o valor investido foi multiplicado por sete.