Nubank é avaliada em US$ 4 bilhões por empresa chinesa

nubank_sede

A gigante chinesa de tecnologia Tecent, que possui serviços semelhantes ao Whatsapp e ao Pypal, acabou de comprar 5% da fintech Nubank pela bagatela de US$ 200 milhões. Com isso, a empresa brasileira de cartões de crédito sem anuidade passou a valer nada menos do que US$ 4 bilhões!

É um espanto! Pois a Nubank é uma fintech que nasceu a poucos anos e já vale tudo isso no mercado internacional. Confirma não só a potencialidade do negócio, mas também uma verdade indubitável: é possível uma empresa de cartão de crédito ser altamente lucrativa sem cobrar anuidade de seus clientes.

Fintechs vieram para ficar, adapte-se

A Nubank ainda não reporta lucros em seus balanços anuais. Isso é suficiente para que alguns profissionais tradicionais do ramo financeiro fiquem proferindo por aí que tudo não passa de moda. E que os grandes bancos vão engolir essas Fintechs.

Algo semelhante aconteceu com o Napster. Ele acabou fechando, mas logo filhotes semelhantes nasceram e se multiplicaram.

A Nubank pode até acabar, mas a demanda por cartões de crédito populares sem anuidade e por empréstimos bancários com juros mais baixos e sem venda casada vieram para ficar.

Os grandes bancos vão se adaptar. Só que os bancários dinossauros ficarão pelo caminho.